Principais Dúvidas – Desvende a blindagem automotiva

A blindagem afeta o desempenho do veículo?
Sim. E os efeitos são sentidos de acordo com o tipo de blindagem e modelo do carro, já que a blindagem acrescenta peso. Para ganhar resistência a tiros e proporcionar proteção aos ocupantes, o carro recebe novos materiais, não previstos no projeto original do veículo desenvolvido pelas montadoras. Cabe à blindadora avaliar o limite máximo de peso, indicando a blindagem ideal para os diversos tipos de veículos. Não é recomendável blindar automóveis com menos de 90 HP, principalmente carros com motor 1.0. O consumidor precisa estar consciente de que o peso adicional pode ocasionar o desgaste de componentes em menor prazo.
A blindagem parcial é permitida?
Não, ela é proibida pelo Exército Brasileiro, pois não garante a segurança do usuário, já que é impossível prever qual local do carro será atingido em um ataque. O usuário fica com uma falsa sensação de segurança. A ABRABLIN não aceita em seu quadro associativo empresas que realizam a blindagem parcial.
As películas colocadas em vidros não blindados têm resistência balística?
Não. Embora existam empresas que comercializem películas ditas protetoras, a ABRABLIN desconhece a existência de um produto que, aplicado em vidros originais do veículo (laminados ou temperados), ofereça resistência a disparos de armas de fogo.
É possível abrir os vidros de um carro blindado?
Sim. Mas, é evidente que um veículo deixa de oferecer a segurança de um blindado se os vidros estiverem abertos. Normalmente, por questão de segurança, as blindadoras restringem a possibilidade de abertura dos vidros dianteiros. Permitem apenas aberturas para possibilitar passagem em pedágios ou em estacionamentos de shoppings, por exemplo. Os vidros traseiros ficam fixos.
O que é delaminação e por que ocorre?
É o deslocamento das camadas que compõem um vidro laminado ou blindado. Ela pode ser causada por inúmeros fatores, desde as reações resultantes da composição do produto até as condições de uso e conservação do veículo blindado. Exposição a ambientes severos de calor e umidade podem acelerar esse processo. O problema é facilmente notado pelas bolhas de ar esbranquiçadas que aparecem nos vidros. Diante de qualquer suspeita, deve-se levar o carro à blindadora, que fará uma análise técnica para averiguar se a resistência balística foi ou não afetada.
Quais motivos podem levar um vidro blindado a trincar?
A trinca pode ser desencadeada por três fatores: impacto forte (uma pedrada, por exemplo, pode deixar uma fissura que, depois, provoca o problema); choque térmico (causado por variações bruscas de temperatura, como levar a um lava-rápido um veículo que ficou por muito tempo exposto ao sol. Em razão da espessura do vidro blindado – em torno de 21 mm –, ele absorve uma quantidade de calor muito maior e a trinca aparece na hora); torção de carroceria (os vidros são parte da estrutura do veículo. Assim, a falta de cuidado em lombadas, valas ou outros choques violentos podem afetar a carroceria e pressionar os vidros).
O vidro blindado continua seguro após o término da garantia?
A proteção balística não termina com o fim da garantia. Como ocorre com qualquer outro produto, a garantia se refere ao período em que a manutenção ou a reposição são de responsabilidade do fabricante. A proteção balística é mantida, desde que a integridade física do vidro esteja preservada. Os associados da ABRABLIN são obrigados a oferecer garantia mínima de dois anos, como mandam os Requisitos de Conformidade, adotados pela entidade.
O que é overlap e em qual parte do veículo é utilizado?
O Overlap (superposição) é uma moldura de reforço acrescentada nos limites das partes blindadas. O processo consiste na colocação de aço nos principais pontos vulneráveis do veículo e nas junções dos materiais. O aço, dependendo do projeto da blindadora, é instalado na proteção de áreas como as bordas das mantas, molduras das portas, espelhos retrovisores, fechaduras, maçanetas e carroceria.
Como agir depois de um caso de colisão ou ataque a tiros?
O veículo deve ser imediatamente encaminhado à blindadora para os devidos reparos. A exemplo do que acontece com qualquer carro em ocorrências atípicas, a blindadora não arca com o custo do conserto, mesmo dentro do prazo de garantia. Em caso de disparos, é mais do que evidente que o veículo blindado já cumpriu seu objetivo: proteger. A recuperação das partes danificadas terá um custo financeiro. O custo/benefício já foi alcançado.
É possível blindar caminhões?
Sim. E o acréscimo de peso tem impacto mínimo diante da grande capacidade de carga do caminhão. É um mercado em expansão, devido ao número crescente de roubos a cargas em inúmeras rodovias do país. Há soluções de blindagem que atendem a qualquer tipo de cabine, nos mais variados níveis de blindagem.
Comprar um blindado usado é bom negócio? Quais os cuidados a serem tomados?
Recorrer a um carro usado blindado pode ser um excelente negócio para quem não pode esperar o prazo de execução do serviço de blindagem ou arcar com os custos de um blindado novo. Para isso, porém, é fundamental haver extremo cuidado na escolha tanto do veículo quanto do fornecedor. É preciso verificar se o revendedor tem registro no Exército, além de outras documentações exigidas pelos órgãos fiscalizadores. Os materiais balísticos estão sujeitos ao controle e fiscalização do Exército e qualquer transação comercial que os envolva está sujeita a tal fiscalização e deve ser registrada.
Todo veículo blindado possui um Título de Registro. É a comprovação de que o veículo está registrado no Exército. O veículo usado blindado é considerado regularizado somente com a posse de tal documento, exigido, inclusive, pelas seguradoras no momento de se contratar um seguro para o automóvel.
Antes de efetuar a compra do blindado usado, também é preciso observar o desgaste de algumas peças, como a suspensão e os freios do veículo. O excesso de peso, conseqüência da blindagem, aumenta o desgaste e reduz o desempenho do carro. Os vidros devem ser inspecionados em busca de bolhas, o que indica a delaminação. Dependendo da situação, será necessária a troca do mesmo. A vistoria deve ser feita também na parte opaca, onde se verifica o nível de aderência das mantas e aços, e se, devido a algum sinistro com o veículo, não existe alguma área desprotegida.
Antes de concretizar o negócio, ainda é importante observar se a blindadora que efetuou o serviço ainda está em operação. Se a empresa tiver sido fechada, não há a quem recorrer em caso de defeito e possíveis reparos.
O custo do seguro de um carro blindado é mais caro do que o mesmo modelo sem a proteção?
O custo de seguro de um carro blindado é proporcional ao de um não blindado. O entendimento das seguradoras é de que o fato de o carro ter a proteção balística não interfere no risco de sinistro.

Fonte: Portal da Blindagem

Publicado na categoria: noticias | Com a tag , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*