Guarita Blindada: Uma barreira contra a violência

ma guarita blindada inclui mais do que simplesmente a colocação de um vidro especial. Guarnições e alvenaria também devem ser reforçadas e muitas vezes há necessidade de alterações na construção.

Contra a violência que ronda os condomínios, uma das mais eficazes armas é providenciar a blindagem da guarita. A grande dica quando se trata de pesquisar fornecedores nessa área é fugir dos aventureiros e buscar profissionais especializados.

“Infelizmente, muitos síndicos ainda escolhem pelo preço e acabam comprando gato por lebre”, afirma Aldo Simões, proprietário da M.Simões, que há mais de 100 anos se dedica à produção de vidros e tem uma linha específica de blindados, a Top Glass. Segundo Simões, em busca da economia, há síndicos que compram vidro multilaminado como blindado. “O multilaminado até resiste a balas mas, quando recebe o impacto, arremessa estilhaços para o lado interno da guarita. Já o blindado é uma composição de vidros e resina, com espessuras que variam em função do nível de resistência aos impactos. Há laudos que garantem que o vidro resiste a determinado projétil”, compara. Simões complementa que é fundamental conhecer a origem do produto: o vidro blindado deve ter a marca da identificação do fabricante.

A linha Top Glass de vidros blindados da M.Simões é oferecida nos níveis 2, 3 e 4, conforme o nível de segurança desejado. Segundo o fabricante, o produto é duplamente seguro: suporta impactos sucessivos de projéteis disparados por armas de fogo e impede a projeção de estilhaços e fragmentos de vidro pelo lado interno, que também podem causar sérios danos. Toda linha Top Glass foi testada pela Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC). “Atrás de um vidro blindado o porteiro se sente protegido. A maior parte das guaritas de condomínios tem apenas vidro temperado. Nessa situação, a qualquer ameaça o porteiro abre o portão”, admite Simões. Ele frisa ainda que, além do vidro blindado, também a junção entre o vidro e a parede deve ser blindada. “Usamos perfis blindados, compostos de alumínio com uma alma de aço. A alvenaria também nunca pode ser deixada desprotegida. Uma parede de tijolo baiano, por exemplo, é muito frágil e deve receber uma chapa de aço aparafusada”, adverte.

Para Marcelo Rohden, proprietário da Ima Glass, a blindagem da guarita envolve conceitos de segurança e de arquitetura. Ele cita o exemplo da instalação do ar condicionado, essencial numa guarita blindada: o menor aparelho de ar condicionado tem potência de 5600 btus, apropriada para uma área de aproximadamente 10 metros quadrados. “Há guaritas tão pequenas que não comportam esse ar condicionado. Estudamos então um aumento da área. Enfim, a blindagem da guarita não significa só fornecer vidro e esquadrias, mas oferecer um pacote completo ao síndico”, aponta.

Através da Ima Plan, Rohden também faz o projeto e a reforma ou construção da nova guarita. “Nossa arquiteta visita o condomínio e faz uma análise do entorno e do acesso de visitantes, condôminos e prestadores de serviços. Estudamos se é necessária uma reforma ou a mudança do lugar da guarita. Centralizando a parte de projeto e construção civil com a caixilharia e o vidro blindado, consigo oferecer uma melhor relação custo-benefício para os síndicos”, garante o proprietário das empresas.

Em relação ao vidro, Marcelo ressalta que o síndico deve estar atento a um detalhe do orçamento: a norma de fabricação do vidro. “Há três anos temos a norma técnica brasileira da fabricação de vidro blindado, que institui os níveis 1, 2 e 3 para a resistência do vidro. Porém, muitos orçamentos ainda se referem a norma NIJ, americana, que tem os níveis 1, 2, 2 A, 3 e 3 A. A norma 3 americana se refere a um vidro de 27 mm de espessura, menos que o nível 3 brasileiro, que é de 38 mm, o que dá uma diferença de 40% no preço”, afirma Rohden. Por isso, é preciso se certificar de estar comparando orçamentos de vidros iguais. Rohden também aplica insulfilme nos vidros: “Além do bandido não poder identificar quem está na portaria, o insulfilme funciona como uma película anti-estilhaço, para o caso de eventuais fragmentos de vidro se projetarem para dentro no caso de um impacto.”

Já a Líder há quatro anos se dedica exclusivamente à aplicação de insulfilme. Segundo Zélia Ramos Melo de Oliveira, proprietária da empresa, é fundamental haver uma relação de confiança entre cliente e fornecedor. “O síndico muitas vezes olha só o preço final do orçamento. Acaba escolhendo aquele colocador da esquina por achar que é tudo igual. É muito comum a colocação de insulfilme automotivo em construções. Nós só trabalhamos com películas americanas, próprias para arquitetura, e com mão-de-obra e ferramentas de primeira qualidade”, garante. A Líder dá garantia de cinco anos contra descolamento, enrugamento e desmetalização espontânea. “A vida útil do produto é de no máximo 10 anos. O insulfilme pode até durar mais, porém sem o mesmo efeito inicial”, afirma.

Os insulfilmes mais indicados para guarita são o G5. Preto, ele dá total privacidade. A Líder oferece ainda a opção prata com preto: o prata fica por fora, espelhando a guarita, e o preto por dentro. Para ambas as películas, a proprietária da empresa orienta que seja instalada uma boa iluminação do lado de fora da guarita, evitando que durante a noite o interior da guarita fique visível. No dia da realização do serviço, a Líder envia ao condomínio as películas já cortadas, evitando muita sujeira no local. Zélia frisa que é fundamental para o sucesso da colocação a limpeza dos vidros: “Deve-se retirar todo excesso de massa de vidraceiro e, se o vidro for blindex, também o silicone que houver, sempre passando a mão pelo vidro para verificar se há algum resíduo. Orientamos também quanto à manutenção, inclusive entregando ao síndico as recomendações por escrito: só limpar o insulfilme com pano macio, água e sabão neutro.”

Já a Ace Brazil comercializa películas de segurança canadenses que, aplicadas do lado interno do vidro laminado, oferecem segurança contra armas de fogo e atos de vandalismo. Segundo a empresa, as películas são disponíveis em vários graus, cada um destinado a um uso diferente, conforme o risco. As películas são fabricadas com poliéster tratado com ácido corona de alta qualidade (PET). “Elas são de cinco a seis vezes mais grossas que um insulfilme comum. Se o condomínio preferir, dispomos também do vidro blindado e fazemos o pacote completo para a guarita, trocando caixilhos, instalando passa-pizza e passa-volumes em aço, além de eclusa de pedestres”, diz Marco Cueto, gerente da Ace Brazil. Marco indica que a guarita tenha pelo menos quatro metros quadrados de área livre para o porteiro. “Se a área for muito pequena, o porteiro acaba abrindo a porta e comprometendo a segurança”, finaliza.

Fonte: Direcional

Publicado na categoria: noticias | Com a tag , , , , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*