Em Jundiaí seguro de carro varia de acordo com o CEP

Perfis semelhantes de motoristas têm diferenças de preços dependendo da região de Jundiaí onde moram

Morar no Anhangabaú, Retiro e Caxambu, por exemplo, encarece o seguro do automóvel do jundiaiense. É o chamado CEP do crime que faz o motorista pagar mais que outro dentro da própria cidade.

E essa variação pode chegar a R$ 100 no caso de uma pessoa com o mesmo perfil e carro igual. Quem mora na Vila Rami Vianelo gasta menos do que quem é da Colônia ou do Engordadouro, outros bairros na lista de altos índices de furtos e roubos de carros, segundo estatísticas da polícia.

O seguro de veículo é o que mais cresce no país ultimamente. Buscar uma segurança para colocar o carro nas ruas cada vez mais movimentadas é um dos motivos. Outro é o aumento do número de furtos e roubos. Em Jundiaí, em janeiro foram 34 roubos e 117 furtos – não foram revelados ainda os dados de fevereiro.

“A diferença é grande, principalmente quando o CEP indicado pelo cliente é de um bairro que costuma ser alvo dos bandidos”, explica o gerente de seguros Jéfferson Arantes Júnior.

Interferências
O gerente de seguros explica que além do endereço outros pontos podem interferir nos valores das cotações. “É preciso analisar se é o primeiro contrato, se há condutores adicionais e se entre eles existe algum motorista com idade entre 18 e 25 anos. Além disso, levamos em conta ainda se o proprietário deixa o veículo em estacionamento, garagem ou na rua durante o trabalho, que trajeto costuma fazer, média de quilometragem por mês, entre tantos outros fatores”, explicou Jéfferson.

Região
Cotando também com endereços das cidades vizinhas, foi possível observar que o valor do seguro é menor. A cidade mais barata da região é Jarinu, seguida por Campo Limpo Paulista, Itupeva e Várzea Paulista. “Isso também é por conta dos índices de roubos e furtos nessas cidades, por isso há uma diferença considerável.”

O mesmo perfil, com o mesmo veículo apontou R$ 1.298 em Jarinu; R$ 1.348 em Campo Limpo Paulista, R$ 1.355 em Itupeva, e R$ 1.398 em Várzea.

Aumento tem média anual de 10%
O crescimento médio anual dos seguros de veículos é de 10%, segundo a CNseg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização). Mesmo que estudos indiquem o crescimento de outras modalidades, como os seguros de vida e o residencial, na prática o aumento de carros nas ruas acaba influenciando o crescimento dos seguros de veículos.

3 bairros têm preços mais atrativos aos motoristas, pela ordem Vila Rami, Jardim Ana Maria e Agapeama

Uso de endereço em outra cidade reduz os gastos
Ao invés de indicar o endereço de sua residência no Rio Acima, uma pediatra de Jundiaí, de 37 anos, conseguiu um desconto de R$ 300 no seguro de seu carro, usando o endereço do consultório em Campo Limpo Paulista. “ É onde eu passo a maior parte do tempo”, explica.

Ela fez cotação e viu que ao usar a cidade de Campo Limpo ao invés de Jundiaí o preço do biolhete cai bastante, a exemplo do que ocorre com outra cidade da região, Jarinu. Morador do Vianelo e com chácara em Jarinu, um jornalista paga anualmente cerca de R$ 400 a menos para segurar seu carro.

Não são todas as cidades do entorno de Jundiaí que oferecem o mesmo benefício.

Fonte: Dia a Dia

Publicado na categoria: noticias | Com a tag , , , , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*