Crescem os furtos de veículos

BLUMENAU – O número de veículos furtados na primeira quinzena de setembro ultrapassou a média mensal deste ano, de 33,25 carros, conforme registros da Polícia Militar. Desapareceram das vistas dos donos 36 carros e motos nos primeiros 15 dias deste mês, quase três a mais que a média mensal. Este ano, já são 302 registros de furtos e roubos. Os números da Polícia Civil são ainda maiores, já que muitas vítimas vão direto às delegacias para registrar o boletim de ocorrência. Neste caso, a média sobe para 41 carros e motos furtados por mês desde o início do ano, o que totaliza 370 ocorrências em oito meses e meio.

Subcomandante do 10º Batalhão de Polícia Militar, o major Mário Sidnei Rossi explica, no entanto, que os números variam a cada mês:

– Em alguns meses, chegamos a registrar mais de 50 furtos, em outros, 30. Acredito que devem ser ladrões ou quadrilhas que agem por um tempo, mas deixam de praticar os crimes por determinado período para despistar a polícia.

O Sindicato de Seguradoras, Previdência e Capitalização de Santa Catarina (Sindseg) também percebeu aumento no número de furtos e roubos, não somente nos últimos dias, mas desde o começo do ano. Somente no primeiro semestre de 2010, o Sindseg registrou 6.248 veículos segurados que foram furtados/roubados no território catarinense. Destes, 263 em Blumenau. No mesmo período do ano passado foram 5.806 veículos em Santa Catarina.

Agostinho Pereira entrou para o quadro das estatísticas. A esposa dele deixou o veículo estacionado em uma rua do Bairro Itoupava Norte e, ao retornar, não o encontrou mais. O vendedor tinha pago somente oito das 60 parcelas do financiamento. O prejuízo só não foi maior porque o veículo tinha seguro.

– Do jeito que está, não tem como sair com um carro sem ter seguro. Acredito que tem uma quadrilha que deve agir na cidade. Fiz boletim de ocorrência na delegacia, mas nunca mais o carro foi visto – conta Pereira.

Veículos vão para desmanche ou são usados em outros crimes

Segundo o coordenador da Central de Polícia, Henrique Stodieck Neto, os destinos de veículos furtados variam. As motocicletas geralmente são desmontadas ou têm o chassi adulterado (raspado) e voltam às ruas ou passam a ser usadas em trilhas. Já os carros mais velozes e utilitários são usados pelos ladrões em outros crimes, como assaltos, por exemplo. Ele destaca a importância do registro do furto, pois o Boletim de Ocorrência (BO) fica acessível a qualquer policial do país.

– Antes de registrar o BO, o motorista deve verificar com a Guarda de Trânsito Municipal. Alguns carros são guinchados por estar em lugar proibido. O processo de retirada obedece um rito burocrático, que vai causar incômodo a quem registrou o furto erroneamente – explica o delegado.

Fonte: clicRBS

Publicado na categoria: noticias | Com a tag , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*