Caso de tentativa de assalto mostra vantagem da blindagem automotiva

Na última semana de abril, uma tentativa de assalto no Guarujá, na Baixada Santista, litoral paulista, só não acabou em tragédia porque a vítima transitava em um carro blindado. A proteção permitiu não apenas que o motorista escapasse do criminoso, como também que ele registrasse uma foto do mesmo e a entregasse para policiais efetuarem sua prisão. O caso, divulgado recentemente pela mídia, ocorreu em um túnel da Vila Zilda, uma das principais portas de entrada da cidade para quem vem da capital e comprova, dia após dia, a importância desse recurso de segurança. Para reagir com sucesso, porém, como fez essa vítima, é preciso confiar plenamente no poder de proteção da blindagem executada.
Para que uma blindagem automotiva seja integralmente eficaz, é necessário que o veículo seja totalmente blindado. O Exército, órgão fiscalizador do setor, proíbe a blindagem parcial, ou seja, apenas da parte transparente (vidros) do carro. “A proteção parcial dá falsa sensação de segurança ao usuário do veículo. Ele se sente confiante para reagir e, na fuga, pode acabar sendo atingido” . Além dos vidros, toda a parte opaca do veículo (lataria) deve receber a proteção. Portas, teto, colunas, maçanetas, atrás do banco traseiro e porta-pacotes, atrás do espelho retrovisor, além da caixa de rodas são regiões que devem ser blindadas para garantir a segurança total dos ocupantes do veículo.
A blindagem mais praticada no mercado é a de nível III-A, que suporta até tiros de pistolas 9mm e revólveres .44 Magnum. “Esse nível garante proteção contra as mais potentes armas curtas usadas pelos marginais, o que dá condições de reagir a tentativas de assaltos como fez o motorista no Guarujá”, explica o especialista, que ressalta. “Mesmo estando dentro de um blindado, a reação do motorista, de voltar até o bandido e registrar uma imagem para facilitar sua identificação e posterior prisão não é a mais indicada. O ideal é apenas acelerar, com o objetivo único de fugir da zona de perigo”.

Setor em alta

De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin), em 2010 a blindagem automotiva bateu recorde no país. Foram blindados 7.332 veículos no país, um aumento de 5,86% em relação a 2009. São Paulo é o líder no ranking dos estados com maior incidência de blindagem, com 66%.
Do universo de usuários desse tipo de proteção, a maioria é formada pelo sexo masculino (65%), dos quais a maior parcela, ou 22%, está na faixa etária entre 50 e 59 anos. Do total desse público (homens e mulheres), 85% são de empresários/executivos. Artistas/cantores formam 3%, assim como juízes, que também respondem por 3%, segundo o levantamento da entidade.

Fonte: Portal da Blindagem

Publicado na categoria: noticias | Com a tag , , , , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*