Carro vira cativeiro em duplo sequestro

Dois empresários foram vítimas ontem, na zona sul de São Paulo, da nova modalidade criminosa na capital: sequestro relâmpago por arrastão, quando mais de uma vítima é abordada aleatoriamente pelos bandidos e ficam em poder dos sequestradores em um mesmo veículo, uma espécie de “cativeiro coletivo”.
No caso de ontem, os dois empresários não se conheciam, foram rendidos pelos mesmos bandidos e mantidos reféns em um carro. Abordados pela polícia no Morumbi, os bandidos tentaram fugir. Uma das vítimas foi jogada do veículo, socorrida e levada ao Hospital Albert Einstein. Houve perseguição e um dos criminosos foi baleado. O outro empresário não se feriu.
O primeiro empresário, P.H.M, de 29 anos, foi abordado por dois homens por volta das 7 horas quando ia de carro, de São Bernardo do Campo, para uma reunião de trabalho, na região do Jabaquara. Na Avenida Engenheiro George Corbisier, o celular tocou e M. parou o veículo para atender.
Nesse momento, foi rendido por Clenílton dos Santos Leandro e pelo comparsa, identificado como Luan. Eles estavam a pé e portavam uma pistola Colt calibre 45.
Os bandidos mandaram o empresário sentar no banco do passageiro e um deles assumiu a direção do Siena da vítima. Depois de obrigar M. a entregar três cartões de crédito e um de débito e revelar todas as senhas, eles o mandaram ficar com os olhos fechados durante uma parte do percurso, onde se encontraram com outros dois comparsas que estavam em uma moto, em um local acertado pelo celular.
“Eles ainda pediram que os dois motoqueiros trouxessem algo para comer. Depois até me deram um pastel de queijo”, contou M., no 37º Distrito Policial.
Depois de uma hora e meia rodando, a dupla resolveu abordar outro motorista que pegava objetos no porta malas de um Santa Fé, na Rua Castelhano, uma travessa da Avenida Giovanni Gronchi, na região do Morumbi, em frente a uma construtora.
“O que estava no banco de trás do meu carro simulou pedir informações, e quando a pessoa se virou foi rendida com a arma e obrigada a entrar no veículo”, contou M.. Mas a segunda vítima, o engenheiro R.C., de cerca de 50 anos, se desesperou e não lembrava as senhas dos cartões.
“Isso deixou os bandidos muito nervosos e eles mudaram de atitude, passando a fazer uma série de ameaças. Eles diziam que pegariam a família dele, dariam choque elétrico nos filhos, que iam matá-lo”, afirmou o empresário rendido.
Uma testemunha que viu o engenheiro sendo colocado no Siena ligou para a PM e passou a placa do veículo. Uma viatura que fazia patrulhamento de rotina identificou o veículo em um semáforo.
Houve perseguição e, neste momento, o segundo empresário rendido foi jogado do carro pelos bandidos. Na fuga, eles bateram em oito veículos e um ciclista quase foi atropelado. Os bandidos foram perseguidos por quase meia hora. A operação contou com o apoio do helicóptero Águia da PM.
O Siena só parou depois que os quatro pneus furaram e deu de frente a um poste, na Rua Constantino de Oliveira Ledo. Baleado, um dos criminosos foi levado ao Hospital do Campo Limpo. Seu comparsa foi preso. Ambos têm passagem na polícia por sequestro relâmpago. Os que estavam na moto não foram identificados.

Fonte: Jornal da Tarde

Publicado na categoria: noticias | Com a tag , , , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*