Blindados

Com a escalada da violência, o comércio de veículos blindados cresceu assustadoramente no Brasil. Nosso país é hoje o terceiro mercado mundial de carros “encouraçados”, atrás apenas de Colômbia e México. Pensando nisto, que na verdade é uma triste realidade de nosso país, o Portal Alpini oferece agora um seção específica para o assunto. Aqui você vai encontrar dicas e ofertas dos “carros à prova de violência”.

Mensalmente são blindados entre 250 e 300 automóveis e o nível de proteção mais requisitado é o médio (3 e 3A), que suporta armas de baixa velocidade e curto alcance como as pistolas 9 milímetros e Magnum 44. De olho neste “filão”, as empresas blindadoras proliferaram, eram duas há dez anos e hoje já são mais de 40. A maioria trabalha com normas técnicas americanas ou européias, no entanto algumas empresas oferecem blindagens a preços menores, protegendo apenas os vidros ou a porta do motorista. Este procedimento é extremamente condenável, visto que o bandido não escolhe o lugar que vai atirar. A blindagem é um serviço caro e que requer o desmonte quase total do veículo. Por toda a carroceria são “coladas” mantas de aramida (um polímero ultra resistente). Já os vidros são compostos por camadas de policarbonato e podem medir até 21 milímetros. Uma boa blindagem deve cobrir também os pneus, colunas, ancoragem do cinto de segurança, maçanetas, retrovisores externos, divisão entre motor e cabine, porta-malas e banco traseiro.

É recomendável fazer um curso de direção defensiva ao se adquirir um blindado. Nestes cursos aprende-se como fazer manobras rápidas e fugir de um possível assalto ou seqüestro. A BMW oferece o Driver Training Protection com duração de um dia e o Centro de Pilotagem Roberto Manzini (11 5667 4343) ministra o Curso de Proteção para Executivos em dois dias. O proprietário de um carro blindado também deve ficar atento à manutenção. Como são acrescidos entre 120 e 150 quilos ao peso total, componentes como freios e suspensão têm sua vida útil diminuída. Desta forma as trocas devem ocorrer em um intervalo menor de tempo. Naturalmente, em uma frota de quase 15 mil blindados, não faltam ofertas de usados. Jornais como o Estado de São Paulo até já incluíram uma seção específica para os modelos em seus classificados. Um blindado usado é uma boa opção para quem não quer investir até o dobro do valor do carro na blindagem. Veículos com um ano de uso são encontrados com preços bastante atraentes frente a um 0KM. Mas antes de adquirir um blindado usado confira algumas dicas importantes:

– Todo veículo blindado deve ser registrado nas secretarias estaduais de Segurança Pública. Se o carro não possuir o documento à parte, você deverá providenciá-lo.

– Certifique-se de que a empresa blindadora ainda existe, visto que não é difícil nesse ramo algumas empresas fecharem de uma hora prá outra.

– Verifique há quanto tempo a blindagem foi feita. Não vale a pena comprar um carro com serviço realizado há mais de cinco anos, pois o material e as técnicas de proteção evoluíram muito neste período. Veja também se todas as revisões do serviço foram feitas.

– Exija sempre o certificado da blindadora, com nome da empresa, nível de proteção prometido e data em que o serviço foi executado.

– Carroceria – Verifique pneus, colunas, ancoragem do cinto de segurança, maçanetas, retrovisores externos, divisão entre motor e cabine, porta-malas e banco traseiro.

– Vedação e acabamento – Confira as borrachas e se não há peças internas soltas.

– Mecânica – Molas, amortecedores e pastilhas podem estar desgastados devido ao aumento de peso.

– Vidro Elétrico – Apesar de quase nunca se abrir o vidro, verifique se eles sobem e descem normalmente.

– Vidros – Bolhas e descascados não podem passar de 1 cm³. Trincas de até 5 cm não comprometem. Vidros deslaminados e esbranquiçados exigem troca.

Fontes: Portal Alpini

Publicado na categoria: noticias | Com a tag , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*