Ascensão do mercado de segurança privada – Crescimento e Tecnologia

É notável o crescimento do número de condomínios em todo o país. Para que exista uma dimensão desse movimento, apenas na cidade de São Paulo, o número de imóveis desse tipo já é maior que 40 mil. Nesse ritmo cresce também o número de invasões e assaltos a condomínios nas grandes capitais do país.
E para não se tornar uma vítima em potencial, as administradoras de condomínios investem em modernidade para seus sistemas de segurança eletrônica. De acordo com a ABESE, Associação Brasileira de Empresas e Sistemas Eletrônicos, Número que corresponde ao crescimento médio de 13% por ano na última década. Em 2006 e 2007 o setor chegou a movimentar cerca de R$ 2,4 bilhões.
Atendendo a essa demanda, existe um movimento de aperfeiçoamento dos equipamentos de segurança que podem ser divididos em quatro categorias principais: alarmes internos, proteção perimetral, circuito fechado de televisão e controles de acesso. Atendendo as principais necessidades dos condomínios residenciais.
Alarmes cada vez mais eficientes marcam a evolução dos sistemas de segurança. Com sensores internos e externos, muitas vezes com imunização para animais domésticos e, nos últimos anos, apresentam tecnologias de transmissão de dados via telefonia celular, o que possibilita um backup preventivo a cortes delituosos de linha telefônicos, principal meio de comunicação do equipamento com a Central de Monitoramento, ou até mesmo panes no sistema das companhias telefônicas.
Além da tradicional cerca eletrificada/ sensora e das consertinas a Proteção Perimetral também é composta por sensores de infra-vermelho com capacidade de transmissão de feixe que podem ser acionados a até 100m.
O desenvolvimento dos equipamentos de informática tem possibilitado a incorporação de novas funções de comando e gravação das imagens para o uso do circuito fechado de televisão (CFTV). O uso de monitores de LCD possibilita a otimização dos espaços de instalação, uma vez que nos condomínios um monitor é instalado nas guaritas e estas, por sua vez, têm espaço reduzido; também na transmissão de imagens e dados têm sido verificados avanços significativos, seja por transmissão via sinal de rádio ou GPRS, o que permite que sejam reduzidos os custos com a construção de tubulações galvanizadas específicas para o sistema.
Acompanhando as inovações do CFTV, o controle de acesso a portarias e garagens é o segmento que mais incorporou novas tecnologias, que permitem a integração dos dados com o sistema de alarme e CFTV, conferindo mais precisão nas análises de ocorrência. Já existem softwares disponíveis no mercado que permitem o controle do acesso a pessoas por área, horários, dias e veículos. A leitura de dados além da tradicional leitora de cartões e teclados de senha podem ser feitas por biometria ou íris. Essa tecnologia requer planejamento e integração de sistemas híbridos uma vez que dados internacionais indicam que de 3% a 5% das pessoas não conseguem ter digitais lidas pelo sistema. Essa tem sido a grande revolução no mercado de segurança em acessos, podendo ser usado em portas, portões ou entradas de prédios e estabelecimentos.
O mercado de segurança patrimonial está em franco crescimento. Com isso, condomínios, casas e empresas se tornarão mais seguros, além de terem um melhor monitoramento e controle de suas propriedades.

Fonte: Portal da Blindagem

Publicado na categoria: noticias | Com a tag , , , , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*